PSL tem candidatos próprios em 48 cidades que podem ter segundo turno

O PSL tem candidatos próprios em praticamente metade dos municípios brasileiros que podem ter segundo turno nas eleições deste ano. São 48 candidatos a prefeito nas 95 cidades com mais de 200 mil eleitores, requisito básico, segundo a legislação eleitoral, para haver uma nova rodada de votações caso nenhum dos candidatos alcance o patamar de metade mais um dos votos válidos no primeiro turno.

O partido tem candidatos em 12 capitais (Palmas é a única que não atingiu ainda o patamar de 200 mil eleitores) e em outras 36 cidades estratégicas espalhadas pelo país. Isso significa a disputa de um eleitorado total de quase 34 milhões de eleitores.

Lançar candidaturas em cidades populosas, com alto número de eleitores, mostra a estratégia do PSL de se fortalecer no plano nacional. “Trabalhar com metas fechadas (de desempenho) é sempre complicado. Independentemente de números, a expectativa do PSL é aumentar a capilaridade para se fortalecer com legenda”, garantiu o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar.

Um terço destas candidaturas está em São Paulo. Além da capital, o PSL tem nomes próprios em: Carapicuíba; Franca; São José dos Campos; Piracicaba; São José do Rio Preto; Mauá; Praia Grande; Suzano; Sorocaba; Guarulhos; Taboão da Serra; Diadema; Ribeirão Preto; São Bernardo do Campo e Jundiaí. De todos esses municípios, o partido governa apenas Sorocaba.

O segundo estado com mais candidaturas do PSL é o Rio de Janeiro, com seis municípios: a capital, e mais São Gonçalo, Petrópolis, Duque de Caxias, Niterói e São João do Meriti. E Minas Gerais, com cinco: Uberlândia, Contagem, Juiz de Fora, Governador Valadares e Uberaba.

Agora é esperar o que as urnas mostrarão no dia 15 de novembro. Ou, quem sabe, no dia 29, data marcada para acontecer o segundo turno.

Compartilhe