Mulheres imprimem solidariedade nos mandatos pelo PSL

Zilda Rezende (divulgação)

A pandemia do novo coronavirus reforçou algo que a sociedade já sabe, mesmo que alguns ainda queiram ocultar a realidade: a presença feminina na vida pública engrandece a política e traz um toque de humanidade, carinho e cuidado na relação com a coisa pública. Em janeiro, tomaram posse, como vereadoras do PSL, nove donas de casa que a partir de agora levarão sua experiência para os legislativos das cidades que representam.

Zilda Sebastiana Pedrosa Rezende vai para o terceiro mandato de vereadora. Em 2012 foi eleita pelo PTB, em 2016 foi escolhida como suplente. Hoje filiada ao PSL, foi eleita com 105 votos e, a partir de primeiro de janeiro, assumirá a presidência da Câmara Municipal de Pedra do Indaiá (MG). “A responsabilidade agora aumenta ainda mais”, reconhece ela.

Zilda lembra que foi atraída pela política pelo sentimento de fazer mais pela população. “Em meus mandatos anteriores já consegui muita coisa, como uma pracinha para a cidade, por exemplo. Fomos até Brasília conseguir recursos também para a construção de uma quadra de esportes coberta para as pessoas praticarem esportes”, reforça ela, apostando no fato de o vice-prefeito – Juliano Ferreira – ser do PSL para trazer mais benefícios para a cidade.

“O esporte me salvou da criminalidade”

Bruna Prates (de azul) (divulgação)

Bruna Cardoso Prates não tinha experiência com política anteriormente, mas de esportes ela entende. Muito bem. Bruna comanda o Projeto Renascer, que dá aulas de futebol para cerca de 160 crianças carentes de Pedra Azul (MG). Os recursos era tira de onde? “Das rifas que vendo na feira. Sou a treinadora, a massagista, a roupeira, a mãe, sou tudo para esses meninos”, afirma Bruna.

Ela disse que se candidatou a vereadora a pedido dos pais dos alunos, que achavam que essa seria uma maneira de conseguir mais apoio tanto para a escolinha quanto para o esporte na cidade. “Entrei na política para me conhecer também e dar o meu máximo para tirar essas crianças do crime. Porque foi o esporte que me salvou da criminalidade”, admite Bruna.

O trabalho rendeu à Bruna 239 votos em uma cidade de 29 mil habitantes. Além do esporte, por óbvio, as outras bandeiras da vereadora são a inclusão social e a educação. “A educação é o princípio de tudo”, ensina.

Loteria e Zumba

Patrícia dos Santos (divulgação)

Patrícia Placidina Borges dos Santos também é vereadora de primeira viagem, embora tenha uma tradição política familiar, com três tios que já foram vereadores em Porteirão (GO), uma cidade de 5 mil habitantes, com 3,4 mil eleitores. Patrícia recebeu 122 votos em novembro.

Quando nova, Patrícia trabalhava na lotérica da cidade, o que a tornara bastante popular na cidade. Ela se casou, mudou-se para Goiatuba (GO) e quando voltou para sua cidade natal, começou a dar aulas de Zumba, o que tornou a mãe de um casal de filhos ainda mais popular em Porteirão.

“Eu virei ponto de referência para as mulheres da cidade. Elas passaram a me ver com psicóloga, amiga e eu resolvi me candidatar para levantar as bandeiras das mulheres e do cuidado com a Saúde”, declara Patrícia. A vereadora afirma ainda que pretende popularizar a arte e a dança nos CRAS (Centro de Referência em Assistência Social) da cidade.

Emocionada, Patrícia olha para trás, agradece o apoio de familiares e amigos, mas não esquece de uma pessoa em especial: seu irmão Pablo Borges. “Ele sempre torceu para que eu me candidatasse a vereadora. O sonho dele era que eu me tornasse representante da população”. Pablo não está mais aqui para ver a nova vereadora – morreu sete anos atrás. Patrícia, onde estiver, Pablo está orgulhoso de você. Estará torcendo e te ajudando a fazer um mandato grandioso.

Compartilhe