Araguainha, a cidade no coração da cratera, completa 57 anos

Crédito: Vicente de Souza

Araguainha (MT), cidade atualmente administrada pelo prefeito Francisco Gonçalves (PSL), completa 57 anos, neste 24 de fevereiro. Com cerca de mil habitantes – curiosamente, ela tem mais eleitores que moradores – o município tem uma taxa de escolaridade próximo dos 100% na faixa do 6 aos 14 anos e muitas histórias para contar.

A principal delas é que a região onde Araguainha foi fundada pode ser o cenário de um dos eventos mais importantes do planeta: a extinção de 90% da vida existente na Terra, há cerca de 250 milhões de anos. Isso porque a pequena cidade mato-grossense, cercada de montanhas com rochas compostas de minerais só existentes no subsolo, está no centro da maior cratera provocada por um asteroide na América do Sul.

Especialistas afirmam que o impacto com o corpo celeste ocorreu há 250 milhões de anos – anterior à existência dos dinossauros – e causou uma cicatriz de 40 quilômetros de diâmetro – correspondente a uma área de, aproximadamente, 1,3 mil quilômetros quadrados. Na cratera caberia, por exemplo, a região metropolitana de São Paulo.

A colisão teria destruído, imediatamente, tudo o que estava num raio de até 250 quilômetros e, posteriormente, gerado um rápido e fatal aquecimento global, causando tsunamis e terremotos.

Já o nome Araguainha também faz referência a um elemento da natureza. Ele é derivado do Rio Araguainha, que corta a cidade e deságua no Rio Araguaia.

Compartilhe