Do tabuleiro ao voo livre, Planaltina (GO) completa 130 anos

Crédito: Prefeitura de Planaltina (GO)

A cidade de Planaltina (GO), administrada por Cristiomário de Souza, do PSL, completa 130 anos de emancipação no dia 19 de março. O município, que tem atualmente 120 mil habitantes, foi criado 100 anos antes, em 1790, mas era ligado à Formosa (GO).

Curiosamente, mesmo com a emancipação, a história e os contornos geográficos do novo município continuam divididos com Formosa e até mesmo com o Distrito Federal, que viria a ser criado apenas em 1960 para abrigar Brasília, a nova capital do País.

O Distrito Federal tem uma cidade satélite chamada Planaltina, localizada na saída Norte, composta justamente por uma parte do território pertencente à Planaltina de Goiás, absorvido pelo DF quando Juscelino Kubitscheck resolveu transferir a capital federal do Rio de Janeiro para o Planalto Central.

Com Formosa, a disputa envolve um dos pontos turísticos mais importantes da região: a Pedra do Vale do Paranã, utilizada para a decolagem de asas deltas que disputam campeonatos de voo livre. “A pista de decolagem fica em Planaltina, mas quando as asas deltas começam voar já cruzam o céu de Formosa. Por isso eles dizem que a Pedra do Paranã é deles. Não é, é nossa”, assegurou Cristiomário.

O prefeito, que é formado em História e Direito, elegeu-se por uma margem apertada: apenas 417 votos de diferença em relação ao segundo colocado. Foram ao todo 13,3 mil votos dados ao delegado da Polícia Civil, que já havia disputado as eleições de 2016, ficando em terceiro lugar. Em 2018, elegeu-se como suplente de deputado federal.

Cristiomário quer mudar o perfil da cidade, ampliando as possibilidades turísticas da região. Por enquanto, Planaltina é quase uma cidade dormitório, já que boa parte da população trabalha em Brasília e retorna para o município à noite. “Precisamos expandir a nossa atividade econômica”, reconhece o administrador municipal.

O gestor enxerga algumas possibilidades de atração, como o turismo ecológico na Cachoeira do Indaiá, a prática de esportes náuticos na Lagoa de Formosa e a visita à Catredral de Santa Catarina de Alexandria, distante 10km do centro da cidade, mas que precisa passar por reformas para aumentar a capacidade de fiéis no momento dos cultos.

Cristiomário também deseja estimular a prática esportiva entre as crianças da rede pública de ensino. Nada do tradicional futebol, com vários meninos e meninas de cada lado, chuteiras e coletezinhos. “Eu quero fazer com que os alunos aprendam xadrez. Além de desenvolver a questão cognitiva, é mais barato. Basta um tabuleiro e dois jogadores”, completou o prefeito.

Compartilhe