Notícias

03/10/2018 - Notícia

Página fraudulenta que angariava doações em nome de Bolsonaro é retirada do ar

A campanha presidencial de Jair Bolsonaro (PSL) conta com o apoio exclusivo de pessoas físicas para se financiar. O site www.maisquevoto.com.br/jairbolsonaro é a plataforma oficial disponibilizada pelo PSL para o recebimento das doações dos colaboradores.

No dia em que Bolsonaro teve alta no hospital e anunciou, mais uma vez, seu site de arrecadação, uma página falsa, porém, bastante semelhante (www.maisquevoto.com/jairbolsonaro) foi posta no ar, com o propósito de obter - obviamente de forma ilegal - as contribuições. Por tamanha semelhança, a fraude fez com que parte das doações, que originalmente seguiriam ao partido, fossem desviadas à conta bancária de terceiros.

Quando tomou ciência do crime do qual era vítima, o PSL entrou com uma representação no Tribunal Superior Eleitoral, dirigida à Ministra Rosa Weber, com um pedido liminar para a retirada do site ilegal do ar.

Com o apoio do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), órgão responsável pelo cadastro de domínios de internet no país, o PSL averiguou que a página da fraude, www.maisquevoto.com/jairbolsonaro, não encontrava registro na base de dados dos domínios brasileiros, o que, por sua vez, sinaliza que o site foi hospedado fora do território nacional. 

Pelo pedido liminar, o CGIbr, mesmo não podendo retirar, totalmente, o site da rede mundial de computadores, executou uma medida cabível, determinada pelo Ministério Público Eleitoral: o bloqueio dos acessos realizados de dentro do Brasil.

No pedido entregue ao TSE, o partido também solicitou que a quantia desviada fosse integralmente devolvida a quem realmente obtém seu direito de uso: a campanha do candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, a quem os eleitores pretendiam ajudar. 

Segundo determina a lei, os fraudadores são passíveis de multa, que poderá atingir até o dobro dos valores irregularmente obtidos. Além disso, o PSL está tomando as medidas necessárias para que os autores da fraude sejam responsabilizados criminalmente.

Até o fechamento desta matéria, a plataforma oficial de financiamento do Bolsonaro, www.maisquevoto.com.br/jairbolsonaro, informava a arrecadação de R$ 2.834.933, 00, doados por um total de 20.605 eleitores.