Notícias

22/10/2018 - Notícia

Presidente do PSL convida apoiadores a ajudarem na fiscalização das eleições

Estamos próximos da votação em segundo turno. Para contribuir com o processo democrático e a transparência das eleições, o PSL convoca os cidadãos a colaborarem, no próximo dia 28, como fiscais oficiais ou fiscais voluntários.

Você sabe qual é a diferença entre esses dois papéis? 

O  fiscal oficial do partido é aquele que tem registro na Justiça Eleitoral e recebe uma credencial. Esse fiscal pode acompanhar toda a votação dentro de uma seção eleitoral. Entre as suas funções está o acompanhamento da impressão da zerésima (documento que comprova que não há votos computados na urna antes do início da votação) e do Boletim de Urna (BU), que é gerado às 17h e mostra quantos votos foram computados em cada urna. 

O fiscal não-oficial ou “voluntário” não precisa de cadastramento na Justiça eleitoral, nem de credencial. A função dele é, unicamente, usar um aplicativo chamado Totalização Paralela para capturar os QR Codes dos Boletins de Urna assim que a votação for encerrada. O fiscal voluntário não pode acompanhar a votação dentro da seção, nem fiscalizar a impressão dos documentos das urnas, mas sua atuação é fundamental para permitir que o PSL consiga fazer uma totalização paralela dos votos. 

Além de legal, a fiscalização é aberta, ou seja, qualquer pessoa que queira ajudar a resguardar a integridade das eleições pode participar. Se você deseja ser um de nossos fiscais, visite o site fiscaisdojair.com.br para se informar melhor e fazer o seu cadastro.