Notícias

23/11/2018 - Notícia

Ricardo Velez Rodriguez é o novo ministro da Educação

Foto: divulgação redes sociais

Futuro membro do governo Bolsonaro é filósofo e professor de escola do Exército Brasileiro

Após muito estudar em prol da escolha de um bom nome técnico para assumir a pasta da Educação no próximo governo, Jair Bolsonaro divulgou a indicação: Ricardo Velez Rodriguez é o nosso futuro ministro da Educação.

O anúncio foi feito na noite de quinta-feira (22), por meio das redes sociais do presidente eleito.

“Gostaria de comunicar a todos a indicação de Ricardo Velez Rodriguez (...) para o cargo de Ministro da Educação”, escreveu o Capitão, em uma publicação no Twitter, complementando, logo em seguida, um breve currículo do mais recente ministro confirmado, em mais uma postagem. 

Conheça o futuro ministro da Educação

Conforme informou o Capitão, o futuro ministro é filósofo e autor de mais de 30 obras. Atualmente, é professor da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (Eceme).

Rodriguez possui ampla experiência docente e gestora. Fez mestrado em Pensamento Brasileiro pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ) e doutorado em Pensamento Luso-Brasileiro pela Universidade Gama Filho. Além disso, é pós-doutor pelo Centro de Pesquisas Políticas Raymond Aron, em Paris.

Em seu blog, intitulado ‘Rocinante’, Rodriguez publicou um texto no dia 7 de novembro, quando já representava uma possível escolha para ministério. "‘Menos Brasília e mais Brasil’, inclusive no MEC. Essa seria a minha proposta, que pretende seguir a caminhada patriótica empreendida pelo nosso Presidente eleito”, escreveu. 

Ainda no texto, ele detalhou sua visão a respeito da missão do Ministério da Educação “Enxergo, para o MEC, uma tarefa essencial: recolocar o sistema de ensino básico e fundamental a serviço das pessoas e não como opção burocrática sobranceira aos interesses dos cidadãos, para perpetuar uma casta que se enquistou no poder e que pretendia fazer, das Instituições Republicanas, instrumentos para a sua hegemonia política", escreveu.